VIFF40 – Miracle

O filme é dividido em dois atos, o primeiro ato conta a história de Cristina Tofan (Ioana Bugarin), uma noviça grávida que foge para cidade para fazer um aborto e na volta encontra um destino fatal. O segundo ato acompanha Marius Preda (Emanuel Pârvu), o policial encarregado do caso que procura incansavelmente pelo culpado. O filme usa de metáforas nada sutis para falar sobre Deus e religião, e com algumas cenas longas demais acaba ficando um pouco arrastado. Porém quando o diretor Bogdan George Apetri decide abraçar uma abordagem mais pesada, o filme se torna uma sufocante busca pela verdade. A escolha de contar as duas historias partindo de um mesmo ponto é um dos grandes acertos do longa, essa escolha nos faz perceber a diferença entre os dois protagonistas e como cada um lida com as questões religiosas e sociais.

O roteiro pondera sobre a religião em todos os momentos, com destaque para a cena final que deve permanecer com o espectador por um bom tempo.

Com cenas longas e boa parte da história construída em cima de diálogos e reflexões sobre Deus, Miracle pode soar pedante, mas funciona bem como uma história sobre a violência e brutalidade humana.


É DO SEU INTERESSE